terça-feira, 31 de março de 2015

Sonhos de Uma Cigana

E para iniciar este blogue, deixo convosco um texto que escrevi há uns anos. Espero que gostem :)


Sou cigana. A minha cultura tem regras, regras essas que põem limites aos meus sonhos. Aos sonhos de todas as mulheres.

Gostava de estudar, de ter mais que o 4º ano, de andar no ensino básico, secundário, de entrar na universidade e de me tornar uma mulher com sucesso! Mas a minha cultura deixa-me sonhar, mas não concretizar o sonho.

Um dia dia gostava de mudar de vida, de conhecer uma cultura diferente da minha, de viver essa cultura! Mas só os homens a possibilidade de concretizar este sonho é possível.

A minha cultura baseia-se na ideia de que as mulheres não necessitam de estudar para tomar conta da casa, do marido e dos filhos. Baseia-se na ideia de que temos de ter cabelos longos, pois é aí que a nossa beleza se encontra. Quando ficámos viúvas somos obrigadas a rapá-lo e a tapar a nossa cabeça com um lenço, cobrindo-nos por completo de negro. Somos proibidas de concretizar o sonho de viver uma nova vida.

Nós nascemos com os nossos futuros já traçados. Nascemos com os nossos casamentos já marcados. Sonhar com o homem ideal é possível, mas impossível de concretizar.

Somos obrigadas a casar com um homem cigano, sobre ordem da família, sob interesse dela.

Mas uma coisa é certa: podemos ser proibidas de concretizar nossos sonhos, mas ninguém é proibido de sonhar!!


Mafalda Alves

2 comentários:

TimTim disse...

Todos nós temos direito a lutar pelos nossos sonhos.. já pensaste nisso?

Marisa Alves Pereira disse...

Bonito texto. Parabens