segunda-feira, 13 de julho de 2015

A Rapariga no Comboio - Opinião

Olá, olá!

Então, como prometido na página do facebook do blogue, cá venho eu com o livro


3/5

Este é um triller psicológico. Este livro teve uma imensa divulgação, muito falado, muito comentado por esses blogues fora, muito comprado ao livro "Por Parte Incerta", de Gillian Flynn (que eu desconheço, por isso, não posso comentar esta comparação.)

É o primeiro livro que leio desde género, e tenho a dizer que gostei e que quero mais!
Porém, não pretendo reler este.

De início, prendeu-me. Só queria ler, virar a página e descobri mais! Todavia, começou a arrastar-se tanto, com tantas voltas, não se desenvolvia, e começou a tornar-se um bocadinho aborrecido.
Mas não consegui parar de lê-lo, mesmo assim. Porque queria saber!

Esta história é contada em 3 vozes: temos a Rachel, que é a nossa rapariga no comboio. Ela é divorciada, vive num quarto alugado na casa de uma antiga colega/amiga e tem problemas com o álcool, que faz com que se esqueça de certas memórias e as confunda. 
Ela tem uma rotina: todos os dias, à mesma hora, ela anda de comboio. E neste percurso ela observa sempre as mesmas casas, observa sempre o mesmo casal, casal esse com quem "fantasia". Lhes dá nomes e lhes imagina uma vida.
Depois temos a Anne, a actual companheira do ex-marido da Rachel. 
E, por fim, temos a Megan, a mulher que a Rachel observa do comboio.

Ou seja, a história destas 3 mulheres acaba por estar interligadas.

Este livro conta a história dividida por dias, e esse dias estão subdivididos em parte de manhã e parte de tarde. E a Megan vai contando coisas passadas, enquanto que a Rachel e a Anne se focam no presente.
Por acaso, gostei da forma como este livro esta organizada. É dinâmico, prende uma pessoa à sua história, a que querer saber o que se vai suceder a seguir.

Mas o final desiludiu-me bastante! Estava à espera de algo tcharan! e, afinal, é algo previsível e sem nada de extraordinário.
Esperava algo mais surpreendente, inesperado e chocante!
Foi pena... E perguntei-me, muitas vezes, como é possível o livro estar a ser tão falado e ter tido aquele número enorme de vendas.

Já a escrita da escritora é super simples. Um livro de fácil leitura, simples, em que as páginas vão passando sem darmos por isso.

No entanto, quando terminei de ler este livro, pensei: "como livro, é só mais um livro, não é nada de mais, mas como filme, talvez resulta-se melhor" e, ao que parece, vai mesmo haver filme! E isto alegrou-me bastante!

O guião foi escrito por Erin Cressilda Wilson e Tate Taylor e  a Emily Blunt será a nossa protagonista, a Rachel.



E vocês, já leram o livro? Que acharam?

Deixo-vos aqui também um vídeo, com a opinião da Joca, Little House Books.





Já agora, gostavam de ver o blogue no Youtube? Que ele entra-se no mundo dos booktubers? Terem acesso às opiniões, às novas aquisições e a outras coisas de leitores, de uma forma mais simples, rápida e dinâmica? 
Deixem a vossa opinião nos comentários, se faz favor! :)




http://www.wook.pt/ficha/a-rapariga-no-comboio/a/id/16448613/?a_aid=526afaca39d15Sinopse:
O êxito de vendas mais rápido de sempre.
O livro que vai mudar para sempre o modo como vemos a vida dos outros.

Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente.

Até que um dia...

Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada.

Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.
Páginas: 320
Editor: TopSeller
Preço Editor: 17,69€
Críticas de imprensa
«A Rapariga no Comboio é o mais envolvente romance com um narrador inconfiável desde Em Parte Incerta. Este livro vai deixar os seus leitores arrepiados.»
New York Times






Paula Hawkins

http://static.globalnoticias.pt/storage/DN/2015/big/ng4321954.jpg?type=big&pos=0 


Foi jornalista na área financeira durante quinze anos, antes de se dedicar inteiramente à escrita de ficção. Nascida e criada no Zimbabué, mudou-se para Londres em 1989, onde vive actualmente. A Rapariga no Comboio é a sua primeira obra, que imediatamente se tornou um verdadeiro fenómeno mundial, com mais de 2 milhões de livros vendidos em apenas 3 meses e já em processo de adaptação ao cinema pelos estúdios Dreamworks. 




Fontes:
http://screen.juss.pt/79-noticias/emily-blunt-vai-protagonizar-a-adaptacao-de-a-rapariga-no-comboio
http://www.c7nema.net/producao/item/43823-emily-blunt-na-adaptacao-ao-cinema-de-a-rapariga-no-comboio.html
 

Sem comentários: