quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Descontos nos livros - Novas Regras

Era para esperar por amanhã, mas a revolta é demasiado grande para ficar aqui calada.

Ainda era do tempo em que havia uma livraria a 5min de minha casa. Mas, um dia, ela fechou. Quase ninguém comprava livros. Agora, só indo à grande cidade, a 15min de carro. Nesse dia, comecei a comprar menos livros novos. E a partir de hoje, esse acto, tornar-se-à uma memória do passado...


Como já devem ter percebido aqui no blogue, eu sou adepta de compra de livros em segunda mão e em alfarrabistas. E porquê?
Um livro novo custa 22€ e eu compro-o como novo a 12€ (que foi o caso do livro O Império Final. Um colega meu queria muito lê-lo, mas desistiu da ideia por causa do preço elevado do livro. Eu ainda tive a sorte de o conseguir a 12€. Se não tivesse encontrado a este preço, digo-vos, NUNCA o teria comprado. Assim como a trilogia das 50 Sombras, que comprei os 3 a 32€. Os três! Se não tivesse conseguido este preço por eles, meus amigos, nunca os teria lido!).
O livro foi lançado agora em Portugal e está à venda a 16€, e eu, no dia seguinte, já o estou a comprar a 10€ (como foi o caso do famoso livro Grey, que preferi não comprar por não me interessar muito).
O que é que aconteceu com estas coisas? As editoras não tiveram lucro. E isto faz com que não haja volume de venda.
E vocês dizem "se estás preocupada com o volume de vendas das editoras, compra os livros novos". Ao que eu respondo: "eu ADORO ler, mas não tenho uma conta bancária recheada. 17€ por um livro é muito! 20 então nem se fala!"
Por causa destes preços elevados, a maioria dos leitores fazem as suas whishlists e esperam por aquelas alturas de promoções. "Leve 3, pague 2". "40% de desconto até à meia noite". "Dia B - 20% de desconto em todos os livros"
Mas agora querem acabar com isso. Querem impor um limite de 10% para todos os livros até aos 18meses.
Meus caros, ao fim de 6 meses o livro JÁ NÃO É NOVIDADE! E quem estava realmente interessado nele já o adquiriu em alfarrabistas, sites estrangeiros, editoras estrangeiras, com um preço MUITO MAIS APELATIVO do que esses míseros 10% de desconto nos dão. Ao menos, diminuam estes 18 meses! Reduzam-no para 6 meses. E mesmo assim...
Portugal sempre foi atrasadíssimo nos lançamentos de livros, em relação aos outros países. Portugal sempre teve uns preços altíssimos em livros.
Dizem que os jovens precisam de cultura! Que precisam de puxar pela imaginação e criatividade que está a ser diminuída com as tecnologias,... Dizem tanta merda, e depois o que fazem? Leis destas, que fazem com que expressões como "ler é para os ricos" se tornem realmente verdade!
Cada vez estou mais DESILUDIDA com este país. E revoltada!
Neste momento tenho PENA de não saber inglês suficientemente bem para ir ao Book Depository comprar livros a 3€. E ainda posso receber um marcador todo giro! Tenho PENA de Portugal ter uma horrível estratégia de marketing! E de estas leis de MERDA ainda apelarem mais a elas. Tenho PENA de ver séries a serem canceladas em Portugal porque "não houve volume de vendas suficiente". Pudera! Com 20€ compro 3 livros em segunda mão! Vou comprar um novo por alma de que santo?
Tenho pouco dinheiro, tenho que o fazer render. 

A revolta é tanta que nem há palavras para a expressar... A sério... 

Dou-vos um exemplo: 
Eu ando a comprar os livros da série "A Minha Vida é um Filme", da Editorial Presença, e ando a comprá-los NOVOS, em livrarias. E não me importo. Sabem porquê? Os livros custam 10€, 11€, 13€ no máximo! É um preço apelativo. Aceitável! Que um leitor activo consegue suportar.
Mas a série "A Irmandade da Adaga Negra" (da Casa das Letras) eu adquiri grande parte desses livros em Alfarrabistas! E a "Game of Thrones", da Saída de Emergência, eu ando a adquirir TODOS os livros também em 2ª mão e em alfarrabistas, porque os livros destas séries, novos, custam MAIS de 18€! E são séries com muitos livros! E eu se quero a colecção não posso comprá-los novos. Não tenho meios para sustentá-la! Claro que, com preços assim, adquiri-los em inglês a metade do preço, ou em segunda mão, ou em alfarrabistas, com preços muito mais acessíveis, se torna muito mais apelativos para nós leitores.

Dizem que o tabaco é um vício caro?! Quem nos dera dar 5€ por um livro! Ler sim, esse sim, é um vício CARO!!!
Se querem que as pessoas parem de fumar e que os jovens fiquem mais interessados pela leitura, troquem os preços. Metam o tabaco a 18€ por maço, e um livro a 5€. Com preços assim, acho que até os pais vão apelar os filhos a ler, não?
Sim, porque uma mãe quando chega a uma livraria e vê um livro a custar 18€, e sabe que o filho o vai ler e encostar, se calhar pensa melhor, vira costas, e vai embora.

Portugal é um país com falta de cultura por causa de coisas deste género. Portugal cada vez mais se torna um país decadente. E cada vez mais tenho vontade de sair dele. 

Olhem, eu, sinceramente, tenho pena. Tenho pena de ver que vou ter que desistir de certas séries que me agradam, por causa dos seus preços. Tenho pena de ver que o meu hobbie preferido se está a tornar um luxo ao qual deixarei de poder aceder. E tenho pena de isto ser tão mau, que já nem encontro palavras para me expressar, reclamar, criticar.

Só espero que os leitores não se calem. Que TODOS se juntem e mostrem o seu desagrado. Em blogues, redes sociais, canais do youtube,...


Juntem-se a nós! Façam o vosso desagrado chegar mais longe:






5 comentários:

Sabores e dissabores literários disse...

Olá,
Bem, subscrevo tudo o que disseste, aliás identifiquei-me com tudinho, sem tirar nem pôr, o que escreveste neste post.
Confesso que são raros os livros que compro no exato momento em que eles são lançados, a menos que eles tragam outro de oferta e esse seja do meu interesse, aí lá cedo e acabo por comprar um livro por 17€, porque é como se comprasse dois pelo preço de um. Tirando esses casos que agora até têm sido escassos, também opto por comprar os livros em 2º mão e em alfarrabistas.
Assim como tu, ando a adquirir os livros da série “As crónicas de gelo e fogo” em segunda mão porque de facto os preços dos livros desta série são altíssimos, já para não falar que eles cá transformaram cada calhamaço lá de fora em dois livros cá, tudo uma questão de lucro está claro. Já a série da Irmandade da Adaga Negra é outra série que eu gostava muito de ler, mas que penso duas vezes pelo simples facto de ter imensos livros, enfim.
Se percebesse um bocadinho mais de inglês também optaria por adquirir livros em sites estrangeiros de livros em segunda mão que são verdadeiras pechinchas, mas para quem não se dá bem com o inglês lá tem que se ir aguentando com as promoções que vão praticando por cá.
É realmente triste porque este país nunca vai andar para a frente por causa disto mesmo, mesmo numa fase de crise age como se fosse um país de ricos e resolve implementar estas leis da treta que nem países mais ricos do que nós implementam e depois vão para a televisão dizer que somos uma geração de tecnologias e que estamos agarrados às mesmas durante não sei quantas horas, não se esqueçam é de também fazer referências a estas leis que fazem da literatura um luxo, assim como referiste, e depois talvez percebam porque é que cada vez leem menos e porque é que as pessoas são cada vez mais ignorantes, talvez até nem seja por vontade própria, mas porque o seu próprio país as leva a isso quando resolve meter estes preços exorbitantes nos livros e ainda querer terminar com os descontos.
O facto de haver menos gente a comprar os livros que saem no momento - as novidades - vai ser apenas um dos danos colaterais que esta lei vai trazer, assim como o Vasco refere no vídeo, depois vai existir menos vontade por parte das editoras de editar certos livros e séries e depois ainda nos tornamos um país mais atrasado em relação às novidades literárias do que já somos atualmente. É como uma bola de neve.
Isto é tão triste que uma pessoa fica sem palavras porque no fim de contas todos chegamos à mesma conclusão: assim Portugal nunca vai andar para a frente.
Desculpa o testamento, mas fiquei mesmo virada do avesso com isto.
Ps: Obrigada por me teres avisado sobre esta notícia, nestes últimos dias não tenho andado muito pela internet por isso não fazia a menor ideia disto, só agora que me atualizei no fb e assim é que vi a indignação sobre este assunto.
Beijinhos.

Femme Trivial disse...

Ainda bem que agora ando a investir mais no inglês, cada vez me sinto mais à vontade a ler em inglês e acho que vou começar a comprar livros apenas nesta língua. Quanto aos livros em português só com mais de 18 meses e muitas vezes em 2a mão.

Anónimo disse...

A livraria independente fechou por causa das promoções dos hípers e das fnacs e das bertrands. A editora independente fechou por causa das promoções das leyas e das portos e das presenças. A lei do preço fixo, que existe na maior parte dos países, permite à livraria independente não fechar porque os hípers não podem fazer as promoções que gostam de fazer, e assim pode ter margem suficiente nas novidades que vende. A lei do preço fixo permite à editora independente não ter de ceder às exigências de promoções dos hípers e assim pode ter margem suficiente nas novidades que edita. Ganha o leitor porque tem a livraria à porta e porque tem mais novidades por onde escolher. Se não houvesse lei do preço fixo, as livrarias independentes fechavam todas, o número de novidades baixava para metade, os hípers passavam a controlar o mercado, e os preços - perversamente - subiriam, porque uma vez controlado o mercado, ninguém gosta de vender mais barato o que pode vender mais caro. É o princípio do monopólio! Por isso, como vês, tás completamente, mas tão completamente errada!!!!!

Soberana da Noite disse...

Pelo que não me interpretem mal. Eu sei bem que obgrande prejudica o pequeno. Mas esta lei vai prejudicar ambos, nao vai ajudar o pequeno! E sabe porquê? Esta lei para ajudar o pequeno, tem que levar pessoas a irem lá comprar, e isso não vai acontecer. A maioria dos leitores, que leiem muito, não têm dinheiro para os preços caros dos livros, aproveitando as promoções para o fazerem. E essa lei do preço fixo durante 18meses vai prejudicar ambos!
Não sou so eu a dizer, mas todos aqueles que comoram bastante. Tem a silveriabdo canal do youtube, e o vasco do canal creepy santos a dizerem o mesmo. Sabe porquê? Porque não hà carteira que aguente os preços. E sabe qual é a alternativa? Livros ingleses comprados em sites do estrangeiro (dar dinheiro ao estrangeiro) com livros mais baratos e com melhores edições, e compras em segunda mão e em alfarrabistas.
Quem vai isto prejudicar? As livrarias grandes, pequenas e rodas as editoras!
A medida é bonita e faz parecer que vai ajudar pq vai por no mesmo patamar, mas a realidade não será essa.
E basta perder tempo a ver os bookhauls para me dar razão.
Beijinhos*

Soberana da Noite disse...

E como exemplo disso tem aqui 2 comentários de uma pessoa que diz q so comprara em inglês ou segunda mão com menos de 18meses e outra tb a dizer q vai haver menos compras nas novidades. E como estas ha muitas mais pessoas a o dizer pela internet fora.
Digo de novo, esta medida nao vai ajudar ninguém, mas prejudicar a todos