segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Svetlana Aleksievitch - Prémio Nobel da Literatura 2015

Ola, Soberanos!
Tudo bem?

Hoje trago-vos a autora vencedora deste ano de 2015, do Prémio Nobel da Literatura.
Vamos la ler um bocadinho sobre ela?



Svetlana Aleksievitch

Ver imagem original

Svetlana Aleksievitch, conceituada escritora e jornalista, nasceu em 1948 em Minsk, na Bielorrússia. Os seus livros estão traduzidos em 22 línguas e foram já adaptados a peças de teatro e documentários. Considerada uma das autoras mais prestigiadas a escrever sobre a URSS, os seus trabalhos têm recebido uma enorme aceitação por parte da crítica, tendo sido galardoados com importantes prémios internacionais, como o Erich Maria Remarque Peace Prize, em 2001, o National Book Critics Circle Award, em 2006, e o Prémio Nobel da Literatura, em 2015. O seu mais recente livro, O Fim do Homem Soviético, recebeu o Prémio Médicis Ensaio, em 2013, e foi considerado o Melhor Livro do Ano pela revista Lire.


____
Nome, complicado de se dizer, não é? ;)
Confesso que nunca tinha ouvido falar dela nem conheço nenhuma obra dela. Também não é para menos, visto que só este ano foi publicado um livro dela, ca em Portugal. O livro que, pelo que percebi, lhe rendeu este prémio. 
Vamos saber de que livro se trata? ;)




O Fim do Homem Soviético

Ver imagem original

PRÉMIO NOBEL DA LITERATURA 2015



Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 472
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04740-3
Idioma: Português
Preço até à data do post: 19,90€ (10% de desconto na WOOK - 17,91€)





Sinopse
Volvidas mais de duas décadas sobre a desagregação da URSS, que permitiu aos russos descobrir o mundo e ao mundo descobrir os russos, e após um breve período de enamoramento, o final feliz tão aguardado pela história mundial tem vindo a ser sucessivamente adiado. O mundo parece voltar ao tempo da Guerra Fria.
Enquanto no Ocidente ainda se recorda a era Gorbatchov com alguma simpatia, na Rússia há quem procure esquecer esse período e o designe por a Catástrofe Russa. E, desde então, emergiu uma nova geração de russos, que anseia pela grandiosidade de outrora, ao mesmo tempo que exalta Estaline como um grande homem.
Com uma acuidade e uma atenção únicas, Svetlana Aleksievitch reinventa neste magnífico requiem uma forma polifónica singular, dando voz a centenas de testemunhas, os humilhados e ofendidos, os desiludidos, o homem e a mulher pós-soviéticos, para assim manter viva a memória da tragédia da URSS e narrar a pequena história que está por trás de uma grande utopia.


Críticas de imprensa
«Soberbo. A palavra falada transforma-se em literatura.»France Culture 
«Svetlana Aleksievitch tem o dom de desfiar a existência humana.»Femina 
«Um magnífico mausoléu em homenagem a um tempo desaparecido.»Le Monde 
«O homo sovieticus existe. Svetlana Aleksievitch encontrou-o.»Le Figaro Littéraire 
«Um grande livro […], ao mesmo tempo infinitamente doloroso e vibrante.»Télérama



___
Ja o conheciam? Ja o leram? Se sim, que acharam dele? Gostava de saber as vossas opiniões :)
Beijinhos* 

Sem comentários: